O projecto dos "100 dias"

01.01.'08 - Apresentação e arranque do projecto ............ SIC
12.05.'08 - Primeiras conclusões aos 80 dias ................... SIC 02.07.'08 - Transportes amigos do ambiente .................. RTP2
18.09.'08 - Conclusões finais aos 130 dias ....................... TVI 22.09.'08 - Dia Europeu da Mobilidade 22.09.2008 ........ RTP1
02.11.'08 - Caia Quem Caia e as bicicletas ....................... TVI 30.12.'08 - Fim do Projecto dos "100 dias" ...................... RCP
01.01.'09 - Fim do projecto dos "100 dias" ...................... SIC 06.01.'09 - 100 dias na Prova Oral .......................... Antena 3


1 Outra reportagem
2 Outra reportagem
3 Outra reportagem
4 Outra reportagem
5 Carmona Rodrigues


Tese de mestrado "Contribuição do modo BICI na gestão da mobilidade urbana" - Descarregar PDF »»

Dia 134 - 19.09.2008

De Santos ao Castelo ... de bicicleta eléctrica.
Da cota 05m à cota 90m, 5 km de manhã, 20 km à noite (aprox.)

Hoje foi o primeiro dia de testes à bicicleta eléctrica, cedida por um empresário português, durante umas semanas.

De manhã necessitei de ir às finanças e ao banco, à Baixa. 2 km até lá, em plano, nesta bicicleta, fazem-se a 25 km/h, com o auxílio do motor eléctrico. Nada de especial, tendo em conta que na minha bicicleta, em plano, sem grande esforço, atinjo os 20 km/h facilmente.

(A eléctrica estacionada e trancada na Rua dos Correeiros, na Baixa, junto às Finanças)

Ao passar pela Câmara Municipal, deparei-me com as obras para a colocação destes 2 conjuntos de estacionamento para bicicletas. Um primeiro passo, dos muitos que a Câmara ainda terá de dar. A melhorar, o tipo de estrutura, pois esta tem limitações ao nível do apoio e encosto da bicicleta, principalmente os modelos urbanos, como a minha.

À noite, saída até ao Bairro Alto, para um encontro com amigos que, para variar, estavam atrasados, pelo que resolvi dar uma volta um pouco maior: ir ao Saldanha na eléctrica.

Caríssimos, a facilidade que esta máquina tem em me transportar mais aos meus alforges, sem praticamente esforço na subida, é uma coisa excepcional. Ainda não tenho velocímetro nesta, pelo que não tenho ainda dados concretos, mas de certeza que ultrapassam as expectativas.

Regresso a descer a Fontes Pereira de Mello e a Avenida da Liberdade, pela central.

Aproveitei estar na Baixa, e resolvir ir ao Castelo, para ver a nível de esforço. Caríssimos: ZERO. Esta máquina consegue, quase sem o meu auxílio, subir a calçada até à Sé, e daí até ao topo, antes de se virar para o Castelo, onde voltei para trás. Fica aqui a promessa de ir mesmo ao Castelo, num dia destes.

(A eléctrica, no Miradouro de São pedro de Alcântara, depois de ter ido ao Marquês, Saldanha, Sé e Castelo, sem me exigir grande esforço:))

Paulo Santos
25km de bicicleta eléctrica por Lisboa, desde 19.09.2008

6 comentários:

Luís disse...

Cuidado, Paulo... Olhe que depois já não consegue voltar à sua bicicleta com motor de hidratos de carbono... :)

Quanto aos wheelbenders, enfim, é um passo no bom sentido pela câmara. Mas achava mais proveitoso para se incitar ao uso da bicicleta pintar traços no chão para um metro de ciclovia em cada rua. Porque qualquer pessoa estaciona a bicicleta amarrada a um poste; terem um mínimo de segurança a circular na estrada é que acho que será o factor principal...

Já agora, só um alerta em relação à escolha do local desses estacionamentos: a Faculdade de Ciências tem um estacionamento para bicicletas, no chamado "Jardim de Pedra", aquele espaço perfeitamente inútil em frente à Torre do Tombo. NUNCA tem lá bicicletas estacionadas, até porque está sempre deserto e com cacos de vidro no chão. Todos os que se deslocam para a faculdade de bicicleta, como eu, prendem a bicicleta junto dos seguranças, no edifício C5. Mais vale prevenir... :)

guerradossantos@gmail.com disse...

Sem dúvida Luís. O principal critério, pelo menos para já, na escolha do local para colocar estacionamentos para bicicletas, é a segurança contra roubo. Locais ermos e sem visibilidade, onde pouca gente passa, são de todo a evitar. Um bom exemplo é o Picoas Plaza, que colocou estacionamentos dentro do próprio espaço comercial, visivel de qualquer uma das esplanadas daquele espaço.
Cumprimentos.

Paulo Santos

Francisco Alem-Tejo disse...

Pois aqui fica o testemunnho de que a cidade ganhou mais um ciclista: eu. Depois de um "ensaio" de 300 km de rodagem e testes pela cidade, passarei a fazer as minhas deslocações diárias casa (Almirante Reis) trabalho (Tapada da Ajuda) de bicla. 40 minutos para lá, 30 minutos de regresso, são 8 km para cada lado. Faço Rua Augusta, largo do munícipio, cais do sodré, depois junto ao rio, passo por baixo da linha de comboio em Alcantara, e depois é uma subidazita desde o Calvário (agora já sei porque é que se chama assim...) até ao Instituto. Talvez nos cruzemos por aí, eu ando numa trek vermelha e branca.

guerradossantos@gmail.com disse...

Francisco, PARABÉNS !!! Mas que excelente testemunho de como começar: primeiro testa-se, procura-se a melhor alternativa, e depois ataca-se em força. Daqui a uns dias manda-me o teu testemunho de como está a correr esta tua nova experiência.

Cumprimentos.

Paulo Santos

RH disse...

Olá Paulo,

O teu projecto chegou, afirmou-se e conquistou lugar na sociedade portuguesa. Desmistificou de forma eficaz, e com grande cobertura mediática, todos os argumentos de que não é possível andar de bicicleta em Lisboa. E sabes o que contribuiu mais para isso? O teu exemplo diário. Podias ter feito mil estudos, publicado nas melhores revistas cientificas, aparecido em todas as televisões. Mas isso não era nada comparado com o exemplo. Lideramos e modificamos comportamentos pelo exemplo que damos. É o que estás a fazer. E assim sugiro que vejas o Diário de Notícias de hoje. Mais uma referência ao teu projecto.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS
HOJE, 22 DE SETEMBRO 2008
http://dn.sapo.pt/2008/09/22/sociedade/lisboa_e_capitais_mais_poluicao.html

Excerto:

"Andar de bicicleta

A segurança, as condições meteorológicas e topográficas são geralmente os principais obstáculos invocados para não utilizar a bicicleta no dia-a-dia. Argumentos que têm sido desmontados por várias experiências nas cidades portuguesas, como mostra o blogue "100 dias de bicicleta em Lisboa" (100diasdebicicletaemlisboa.blogspot.com). Paulo Guerra dos Santos percorreu a capital em duas rodas para a sua tese de mestrado sobre a "Contribuição do modo bici na gestão da mobilidade urbana" e concluiu que "Lisboa é uma cidade ciclável, para uma grande parte da população que nela vive, estuda e trabalha." Para superar as dificuldades pode contar com a ajuda de blogues como "A bicicleta é um meio de transporte e eu "Vou de Bicicleta" para todo o lado" (voudebicicleta.eu) e "Bicicleta na cidade" (bicicletanacidade.blogspot.com), apenas dois dos muitos em que se partilha informação útil para quem pretende utilizar a bicicleta como meio de transporte. Quanto à segurança, pressione as autoridades locais para melhorarem as infra-estruturas para o trânsito de bicicletas, aconselha a organização."

Ricardo Santos disse...

Boas.
Gostava de saber se já existem modelos para venda?
Cumprimentos

Relatos de quem já pedala pela cidade de Lisboa .............

São cada vez mais aqueles que usam a bicicleta como meio de transporte em Lisboa ( 29 testemunhos) ....................................... ver mais »

Engenharia Civil - Vias de Comunicação e Transportes

Intermodalidade de Transportes na cidade de Lisboa
Quanto lhe custa TER e USAR o seu automóvel ?
Os "100 dias" nos media

FAQs, Links, e informações de interesse para o ciclista ..........................

O código da estrada e os velocípedes ....................................
Rede de zonas cicláveis em Lisboa .....................................
Estacionamento para bicicletas, na cidade de Lisboa .............. brevemente
Rede de lojas e oficinas de bicicletas em Lisboa ............ brevemente
Transporte de bicicletas no metropolitano de Lisboa ...............
Transporte de bicicletas nos comboios da CP .....................
Transporte de bicicletas nos comboios da Fertagus ................
Transporte de bicicletas nos barcos da Transtejo e Soflusa ............
Custos comparativos com o uso do automóvel ............................ brevemente
Revistas da especialidade ......................................................... brevemente
Associações e grupos de entusiastas ........................................ brevemente
Eventos ................................................................................... brevemente

C.V. resumido


Currículo Vitae
Paulo Manuel Guerra dos Santos, Eng.º Civil.
Contacto: guerradossantos@gmail.com

Dados Pessoais
Nascido em 1973

Experiência Profissional
1995 a 2007 – Colaborador em diversas empresas de Projecto de Estradas e Consultoria (Proplano, Triede, Tecnofisil, Consulógica), onde desenvolveu competências na área do desenho e projecto de estradas, em particular com recurso às aplicações informáticas: AutoCAD, SMIGS e CIVIL 3D.

Experiência Pedagógica
1994 a 2007 – Mais de 6000h de formação ministradas em diversas escolas, centros de formação e empresas do continente e ilhas, nas áreas de Robótica Industrial, CAD, Topografia e Projecto de Estradas Assistidos por Computador.

Estágios Profissionais e Projectos Internacionais
2007 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Alemanha.
2007 – Estágio na Finnish Road Administration (Instituto de Estradas Finlandês), na cidade de Turku, na Finlândia.
2006 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Holanda.
1993/ 94 – Estágios na área da Robótica Industrial, em empresa tecnológica do sector metalomecânico, em Portugal.

Formação Académica
2007 – A preparar a tese de mestrado sob o tema “100 dias a ciclar na cidade de Lisboa”, com início previsto para 01 de Janeiro de 2008.
2007 – Conclusão da Licenciatura bi-etápica em Engenharia Civil, Ramo de Vias de Comunicação Rodoviárias, ISEL, com média de 15 valores.
1999 – Conclusão do Bacharelato em Engenharia Civil, ISEL, com média de 14 valores.

Formação Profissional em Novas Tecnologias de Informação
1995 a 2006 – Diversas acções de formação profissional nas áreas de Robótica Industrial, CAD, SIG, Topografia, Engenharia de Estradas, Design Gráfico e Criação de páginas de Internet.
1992 a 1994 – Curso de Robótica Industrial, CENFIM, com 3000h.

Formação Pedagógica
1994 a 2003 – Diversas acções de Formação Pedagógica de Formadores e Meios Audiovisuais.

Certificações Pedagógicas
Desde 2000 – Certificado pela AutoDESK, como formador autorizado em tecnologias de desenho e projecto assistidos por computador.
Desde 1998 – Certificado pelo IEFP como Formador, com CAP.

Resumo da situação actual
Actualmente exerce actividade em regime de freelancer como Técnico Especialista e Formador nas áreas de:

- Desenho Técnico Assistido por Computador (AutoCAD), para Arquitectura, Engenharia e Construção, a 2D, 3D e 4D.
- Modelação Digital de Terrenos, para Topografia (CIVIL 3D).
- Cálculo de Vias de Comunicação Rodoviárias Assistido por Computador (CIVIL 3D).

Outras informações
Disponibilidade total. Flexibilidade de horários. Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro.
Muito bom nível de inglês falado e escrito. Excelentes capacidades de comunicação.
Não fumador. Dador de sangue. Praticante de desportos de combate.