O projecto dos "100 dias"

01.01.'08 - Apresentação e arranque do projecto ............ SIC
12.05.'08 - Primeiras conclusões aos 80 dias ................... SIC 02.07.'08 - Transportes amigos do ambiente .................. RTP2
18.09.'08 - Conclusões finais aos 130 dias ....................... TVI 22.09.'08 - Dia Europeu da Mobilidade 22.09.2008 ........ RTP1
02.11.'08 - Caia Quem Caia e as bicicletas ....................... TVI 30.12.'08 - Fim do Projecto dos "100 dias" ...................... RCP
01.01.'09 - Fim do projecto dos "100 dias" ...................... SIC 06.01.'09 - 100 dias na Prova Oral .......................... Antena 3


1 Outra reportagem
2 Outra reportagem
3 Outra reportagem
4 Outra reportagem
5 Carmona Rodrigues


Tese de mestrado "Contribuição do modo BICI na gestão da mobilidade urbana" - Descarregar PDF »»

Dias 033 e 034 - 12 e 13/02/2008

E finalmente ficou pronta. A minha nova beleza. Fui buscá-la na terça-feira. Em breve farei aqui uma descrição detalhada da minha nova bike. 1700m da loja da Biclas.com até casa, já de noite, mas agora com sistema de luzes, movido a dínamo.



E o primeiro dia (quarta-feira) a pedalar a sério por Lisboa com a minha nova máquina não poderia ser melhor: 15 km com bom tempo. De casa para a cantina velha da Cidade Universitária (7 km), daí para a Artilharia I, para dar aulas (4 km) e daí para casa ao final do dia (4 km, sempre a descer). Que bem se conduz uma urbana. E sem mochila do portátil às costas. Comprei um alforge, e adaptei-o para mala de portátil. Assim, reduzi o suor a quase zero. Isto está a melhorar. Nada como experimentar diversas formas de andar de bicicleta para se saber o que melhor se adapta a nós.



Alguns dados do meu novo conta-quilómetros, altímetro e medidor de ritmo cardíaco:

Distância percorrida: 15km (divididos em três troços distintos)
Tempo: 1:15H (no total dos 3 troços)
Velocidade média: 12km/h
Velocidade máxima: 40 km/h (a descer a Rua de São Bento :))
Altitudes: da cota 9m à 108m
Escalada total: 140m (soma dos vários troços a subir)


Mais informação detalhada nos próximos dias. Um abraço a todos.





(a minha "urbana", no alto do Parque Eduardo VII)

8 comentários:

carneiro disse...

Aproveite para registar a evolução dos registos cardíacos ao longo das semanas para o mesmo percurso.No final do tempo vai ter uma agradável surpresa.
É que a utilização urbana da bicicleta como meio alternativo de transporte pressupõe um compromisso de vida com a saúde física. Não temos que ser ciclistas profissionais ou ciclodesportistas, mas temos que assumir desempenhos físicos mínimos, até para não atrapalhar o transito, sejam os outros carros ou bicicletas.

Quem não consegue andar a mais de 5 Km/hora tem direito a utilizar a bicicleta - claro, era o que faltava que não tivesse esse direito - mas em cima do passeio, num registo descomprometido de mero lazer. Por outro lado, aqueles que, como o Paulo, arriscam a andar pelo meio do transito, total ou parcialmente, devem assumir o compromisso por um desempenho mínimo em termos de velocidade. Aliás, conforme a sua média de 12 evidencia.

Continuação de boas pedaladas.

guerradossantos@gmail.com disse...

Carneiro, média de 12 km/hora, e a subir. Imagine a descer :)
Parece que este fim-de-semana é que é a sério, aquela concentração a começar na Expo e a terminar no Saldanha. Vêmo-nos por lá. Um abraço

Frederico disse...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

delta disse...

Boa noite,
Que concentração é essa? domingo? a que horas?
Abraço

Hugo Jorge disse...

mais detalhes sobre a concentração aqui:

http://www.cenasapedal.com/blog/

delta disse...

Obrigado, Hugo Jorge.
O destak, diz que a concentração é no Terreiro do Paço e o percurso começa na Pala do Pavilhão de Portugal!!
Vai haver desencontros:-(

carneiro disse...

"Independentemente da velocidade a que formos temos tanto direito a usar a estrada como outro qualquer."

Acha mesmo que a situação se coloca no âmbito do direito que cada um tem em relação á via pública ?

Bem sei que você objectou só para "picar", mas esse tipo de discurso é perigoso para quem pense que está a falar a sério.

5 à hora é a velocidade a andar a pé. Se acha que a fluidez do transito - rodoviário e ciclístico beneficia alguma coisa com alguém a criar perigo para toda a gente, em especial para si próprio e para os restantes ciclistas...

A estrada não é só dos automobilistas, como também não pode ser apenas dos ciclistas. E só com a razoabilidade de se entender que nela todos temos que caber, poderá haver alguma evolução.

Nesta, como noutras matérias, fazer a abordagem apenas pelo lado da afirmação do direito, descurando a dimensão dos deveres para com os restantes utentes da via publica, é extremar a luta, é diminuir o seu ambito, é criar anti-corpos á causa ciclista.

E é por haver tanta gente tão preocupado com os direitos que acha que tem e não tanto com a forma de harmonizar o seu direito com o direito conflituante dos outros que as faltas de solução acontecem.

Frederico disse...

Não costumo 'picar' ninguém (nem gosto), muito menos em assuntos sérios.

A questão não é 'alguém a criar perigo para toda a gente', mas sim a partilha do espaço que é de todos.

Aconselho uma espreita a http://www.shared-space.org/

Frederico

Relatos de quem já pedala pela cidade de Lisboa .............

São cada vez mais aqueles que usam a bicicleta como meio de transporte em Lisboa ( 29 testemunhos) ....................................... ver mais »

Engenharia Civil - Vias de Comunicação e Transportes

Intermodalidade de Transportes na cidade de Lisboa
Quanto lhe custa TER e USAR o seu automóvel ?
Os "100 dias" nos media

FAQs, Links, e informações de interesse para o ciclista ..........................

O código da estrada e os velocípedes ....................................
Rede de zonas cicláveis em Lisboa .....................................
Estacionamento para bicicletas, na cidade de Lisboa .............. brevemente
Rede de lojas e oficinas de bicicletas em Lisboa ............ brevemente
Transporte de bicicletas no metropolitano de Lisboa ...............
Transporte de bicicletas nos comboios da CP .....................
Transporte de bicicletas nos comboios da Fertagus ................
Transporte de bicicletas nos barcos da Transtejo e Soflusa ............
Custos comparativos com o uso do automóvel ............................ brevemente
Revistas da especialidade ......................................................... brevemente
Associações e grupos de entusiastas ........................................ brevemente
Eventos ................................................................................... brevemente

C.V. resumido


Currículo Vitae
Paulo Manuel Guerra dos Santos, Eng.º Civil.
Contacto: guerradossantos@gmail.com

Dados Pessoais
Nascido em 1973

Experiência Profissional
1995 a 2007 – Colaborador em diversas empresas de Projecto de Estradas e Consultoria (Proplano, Triede, Tecnofisil, Consulógica), onde desenvolveu competências na área do desenho e projecto de estradas, em particular com recurso às aplicações informáticas: AutoCAD, SMIGS e CIVIL 3D.

Experiência Pedagógica
1994 a 2007 – Mais de 6000h de formação ministradas em diversas escolas, centros de formação e empresas do continente e ilhas, nas áreas de Robótica Industrial, CAD, Topografia e Projecto de Estradas Assistidos por Computador.

Estágios Profissionais e Projectos Internacionais
2007 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Alemanha.
2007 – Estágio na Finnish Road Administration (Instituto de Estradas Finlandês), na cidade de Turku, na Finlândia.
2006 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Holanda.
1993/ 94 – Estágios na área da Robótica Industrial, em empresa tecnológica do sector metalomecânico, em Portugal.

Formação Académica
2007 – A preparar a tese de mestrado sob o tema “100 dias a ciclar na cidade de Lisboa”, com início previsto para 01 de Janeiro de 2008.
2007 – Conclusão da Licenciatura bi-etápica em Engenharia Civil, Ramo de Vias de Comunicação Rodoviárias, ISEL, com média de 15 valores.
1999 – Conclusão do Bacharelato em Engenharia Civil, ISEL, com média de 14 valores.

Formação Profissional em Novas Tecnologias de Informação
1995 a 2006 – Diversas acções de formação profissional nas áreas de Robótica Industrial, CAD, SIG, Topografia, Engenharia de Estradas, Design Gráfico e Criação de páginas de Internet.
1992 a 1994 – Curso de Robótica Industrial, CENFIM, com 3000h.

Formação Pedagógica
1994 a 2003 – Diversas acções de Formação Pedagógica de Formadores e Meios Audiovisuais.

Certificações Pedagógicas
Desde 2000 – Certificado pela AutoDESK, como formador autorizado em tecnologias de desenho e projecto assistidos por computador.
Desde 1998 – Certificado pelo IEFP como Formador, com CAP.

Resumo da situação actual
Actualmente exerce actividade em regime de freelancer como Técnico Especialista e Formador nas áreas de:

- Desenho Técnico Assistido por Computador (AutoCAD), para Arquitectura, Engenharia e Construção, a 2D, 3D e 4D.
- Modelação Digital de Terrenos, para Topografia (CIVIL 3D).
- Cálculo de Vias de Comunicação Rodoviárias Assistido por Computador (CIVIL 3D).

Outras informações
Disponibilidade total. Flexibilidade de horários. Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro.
Muito bom nível de inglês falado e escrito. Excelentes capacidades de comunicação.
Não fumador. Dador de sangue. Praticante de desportos de combate.