O projecto dos "100 dias"

01.01.'08 - Apresentação e arranque do projecto ............ SIC
12.05.'08 - Primeiras conclusões aos 80 dias ................... SIC 02.07.'08 - Transportes amigos do ambiente .................. RTP2
18.09.'08 - Conclusões finais aos 130 dias ....................... TVI 22.09.'08 - Dia Europeu da Mobilidade 22.09.2008 ........ RTP1
02.11.'08 - Caia Quem Caia e as bicicletas ....................... TVI 30.12.'08 - Fim do Projecto dos "100 dias" ...................... RCP
01.01.'09 - Fim do projecto dos "100 dias" ...................... SIC 06.01.'09 - 100 dias na Prova Oral .......................... Antena 3


1 Outra reportagem
2 Outra reportagem
3 Outra reportagem
4 Outra reportagem
5 Carmona Rodrigues


Tese de mestrado "Contribuição do modo BICI na gestão da mobilidade urbana" - Descarregar PDF »»

Dias 035 e 036 - 14 e 15/02/2008

As quintas-feiras de manhã são sempre agradáveis para eu iniciar o dia: tenho de estar às 08:15h no topo da Rua de Artilharia I para dar aulas. Começar o dia a pedalar pelas 07:00h (ainda escuro nesta altura do ano), com o tempo ainda fresco (9 a 10º C). Mas assim que monto na bike e começo a pedalar apercebo-me de como é boa a sensação humana de realização. Aquela sensação de saber que conseguimos, dependendo única e esclusivamente de nós próprios, atingir um determinado objectivo. Refiro-me ao facto de, apenas com o meu corpo (e sem grande esforço) fazer-me deslocar, mais a minha bike, por vários quilómetros pela cidade dentro. 15 km por dia é o que tenho feito. De Santos à Cidade Universitária, passando pelas Amoreiras, e regresso a casa. Sem qualquer tipo de ajuda ao nível da motorização (excepto nas descidas, em que a gravidade actua como um verdadeiro turbo-diesel, fazendo a minha máquina atingir velocidades perto dos 50 km/h). Médias de 12 km/h nas subidas. Médias de 22 a 25 km/h nos restantes troços. Relembro que, em geral, no centro das cidades capitais Europeias (Lisboa incluída), a velocidade média de um automóvel atinge uns excepcionais 16 a 18 km/h. Isto num dia "normal".
Com a minha bicicleta, a subir, ando um pouco mais devagar, mas na horizontal e/ou a descer, ultrapasso essas médias, por vezes em mais de 50%. Vantagens: poupo tempo, e dinheiro em triplicado: menos gastos com actividades desportivas, ZERO em combustível, e melhoramentos na condição física e psíquica. Estou mesmo a pensar consultar profissionais de psicanálise, para saber se esta forma de deslocação não poderá ser também uma forma de terapia natural, de redução dos níveis de estresse e ansiedade.

Hoje, sexta-feira, excepcionalmente, um dia com pouco trabalho. Pelo que resolvi apenas andar por aí. Mesmo assim, ainda passei pelas finanças da Rua dos Correeiros, para tratar de questões fiscais, como qualquer bom cidadão. Depois, fui almoçar à Cidade Universitária (a quase 7 km de casa), passei pela biblioteca do Complexo Interdisciplinar (onde estou a actualizar este blogue) e daqui a pouco, regresso a casa.

Uma curiosidade: ao final do dia costumo passar pela biclas.com, na Praça do Município, na Baixa. E ontem apercebi-me de algo extremamente curioso: ao final da tarde estava eu e a rapaziada da Biclas na porta da loja (4 homens já feitos, como diria a minha avó), a experimentar uma série de modelos "radicais" de bicicletas, como se fossemos verdadeiras crianças, que se juntam pela primeira vez a brincar. Como é bom, com 34 anos, fazer algo que costumava fazer em criança: brincar com os amigos na rua, e experimentarmos as bicicletas uns dos outros, para ver ao despique, quem tem a melhor máquina :)

A vida pode ser vivida de várias formas: mas há uma que é de certeza melhor que as outras. Eu, estou a tentar (re)descobrir qual será.
Um abraço a todos.

5 comentários:

Filipe disse...

Sem dúvida que o espírito do projecto está em alta e é disto que precisamos... quase como um vírus, que nos contagia e nos vicia...
Tanto no Blogue como nas atitudes. Estou cada vez mais a pensar em fazer os cerca de 18km que separam a minha casa da faculdade, de bicicleta, tentando utilizar vias menos acentuadas, mas por outro lado com mais trânsito, e por vezes, por alguns bairros menos aconselháveis...
O facto de morar fora de Lisboa é sem dúvida um entrave, mas penso que qualquer dia vai ser ultrapassado, talvez por novas oportunidades que surjam no transporte de bicicletas nos transportes públicos e também pela força de vontade!!!

abraço e mais uma vez todo o meu apoio ao projecto!

mjf disse...

Olá!
Pasei e fui entrando...
Acho que és uma pessoa de muita coragem e bravura...
Eu tenho d percorrer a IC19, todos os dias, no sentido de Lisboa-Sintra, não apanho muito transito...Mas duvido que alguma vez me passassse pela cabeça abdicar do conforto do meu carro...
Por isso fica aqui a minha admiração...

Voltarei

delta disse...

Estamos em perfeita sintonía no que diz respeito às vantagens da bicicleta. Veja-se o meu comentário do dia 30 - 9/2/2008.
Parabéns. Está mesmo com a moral em alta! Já estou a vê-lo fazer estrada com o seu amigo Carneiro:-)

Hugo Jorge disse...

Sou psicólogo e gostaria de responder ao seu desafio sobre os benefícios psicológicos na redução de stress e ansiedade decorrentes da utilização da bicicleta.

Deixo-lhe o meu e-mail para que possamos conversar melhor:

hugomora88@hotmail.com

Conheci-o no dia da concentração da Expo que acabou por não se realizar. Eu estava com um bicicleta dobrável preta e desejei-lhe boa sorte para o estudo.

guerradossantos@gmail.com disse...

Caro Filipe, aconselho acima de tudo muita precaução. Pedalar NA cidade é bem mais seguro que pedalar PARA a cidade. Circule sempre por zonas de tráfego reduzido ou de reduzida velocidade. Se tiver de ser, circule por zonas não afectas ao trânsito automóvel. A marginal de Algés, por exemplo, não é decididamente para ciclistas.
Caro(a) MJF, tem o privilégio de "andar" contra o fluxo de tráfego. Mas e que tal experimentar umas pedaladas pela cidade, mesmo ao fim-de-semana? A ida para o trabalho é apenas uma das deslocações que fazemos diariamente. Há muitas outras em que perdemos demasiado tempo enfiados naquela "lata" de uma tonelada. Pode contar com a minha ajuda naquilo que me for possível.
Delta, mais uma vez encontrámo-nos na cidade Universitária. O seu comentário do dia 030-09/02/2008 é realmente um tributo à bicicleta e às vantagens do seu uso. Obrigado.
Caro Hugo Jorge, terei muito gosto em trocar umas palavras consigo. Todo o saber científico que se possa acrescentar à utilização diária da bicicleta na cidade de Lisboa é sem dúvida bem vindo. Mesmo para a minha tese de mestrado em engenharia, e vindo da área da saúde.
Os meus mais sinceros agradecimentos a todos.

Relatos de quem já pedala pela cidade de Lisboa .............

São cada vez mais aqueles que usam a bicicleta como meio de transporte em Lisboa ( 29 testemunhos) ....................................... ver mais »

Engenharia Civil - Vias de Comunicação e Transportes

Intermodalidade de Transportes na cidade de Lisboa
Quanto lhe custa TER e USAR o seu automóvel ?
Os "100 dias" nos media

FAQs, Links, e informações de interesse para o ciclista ..........................

O código da estrada e os velocípedes ....................................
Rede de zonas cicláveis em Lisboa .....................................
Estacionamento para bicicletas, na cidade de Lisboa .............. brevemente
Rede de lojas e oficinas de bicicletas em Lisboa ............ brevemente
Transporte de bicicletas no metropolitano de Lisboa ...............
Transporte de bicicletas nos comboios da CP .....................
Transporte de bicicletas nos comboios da Fertagus ................
Transporte de bicicletas nos barcos da Transtejo e Soflusa ............
Custos comparativos com o uso do automóvel ............................ brevemente
Revistas da especialidade ......................................................... brevemente
Associações e grupos de entusiastas ........................................ brevemente
Eventos ................................................................................... brevemente

C.V. resumido


Currículo Vitae
Paulo Manuel Guerra dos Santos, Eng.º Civil.
Contacto: guerradossantos@gmail.com

Dados Pessoais
Nascido em 1973

Experiência Profissional
1995 a 2007 – Colaborador em diversas empresas de Projecto de Estradas e Consultoria (Proplano, Triede, Tecnofisil, Consulógica), onde desenvolveu competências na área do desenho e projecto de estradas, em particular com recurso às aplicações informáticas: AutoCAD, SMIGS e CIVIL 3D.

Experiência Pedagógica
1994 a 2007 – Mais de 6000h de formação ministradas em diversas escolas, centros de formação e empresas do continente e ilhas, nas áreas de Robótica Industrial, CAD, Topografia e Projecto de Estradas Assistidos por Computador.

Estágios Profissionais e Projectos Internacionais
2007 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Alemanha.
2007 – Estágio na Finnish Road Administration (Instituto de Estradas Finlandês), na cidade de Turku, na Finlândia.
2006 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Holanda.
1993/ 94 – Estágios na área da Robótica Industrial, em empresa tecnológica do sector metalomecânico, em Portugal.

Formação Académica
2007 – A preparar a tese de mestrado sob o tema “100 dias a ciclar na cidade de Lisboa”, com início previsto para 01 de Janeiro de 2008.
2007 – Conclusão da Licenciatura bi-etápica em Engenharia Civil, Ramo de Vias de Comunicação Rodoviárias, ISEL, com média de 15 valores.
1999 – Conclusão do Bacharelato em Engenharia Civil, ISEL, com média de 14 valores.

Formação Profissional em Novas Tecnologias de Informação
1995 a 2006 – Diversas acções de formação profissional nas áreas de Robótica Industrial, CAD, SIG, Topografia, Engenharia de Estradas, Design Gráfico e Criação de páginas de Internet.
1992 a 1994 – Curso de Robótica Industrial, CENFIM, com 3000h.

Formação Pedagógica
1994 a 2003 – Diversas acções de Formação Pedagógica de Formadores e Meios Audiovisuais.

Certificações Pedagógicas
Desde 2000 – Certificado pela AutoDESK, como formador autorizado em tecnologias de desenho e projecto assistidos por computador.
Desde 1998 – Certificado pelo IEFP como Formador, com CAP.

Resumo da situação actual
Actualmente exerce actividade em regime de freelancer como Técnico Especialista e Formador nas áreas de:

- Desenho Técnico Assistido por Computador (AutoCAD), para Arquitectura, Engenharia e Construção, a 2D, 3D e 4D.
- Modelação Digital de Terrenos, para Topografia (CIVIL 3D).
- Cálculo de Vias de Comunicação Rodoviárias Assistido por Computador (CIVIL 3D).

Outras informações
Disponibilidade total. Flexibilidade de horários. Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro.
Muito bom nível de inglês falado e escrito. Excelentes capacidades de comunicação.
Não fumador. Dador de sangue. Praticante de desportos de combate.