O projecto dos "100 dias"

01.01.'08 - Apresentação e arranque do projecto ............ SIC
12.05.'08 - Primeiras conclusões aos 80 dias ................... SIC 02.07.'08 - Transportes amigos do ambiente .................. RTP2
18.09.'08 - Conclusões finais aos 130 dias ....................... TVI 22.09.'08 - Dia Europeu da Mobilidade 22.09.2008 ........ RTP1
02.11.'08 - Caia Quem Caia e as bicicletas ....................... TVI 30.12.'08 - Fim do Projecto dos "100 dias" ...................... RCP
01.01.'09 - Fim do projecto dos "100 dias" ...................... SIC 06.01.'09 - 100 dias na Prova Oral .......................... Antena 3


1 Outra reportagem
2 Outra reportagem
3 Outra reportagem
4 Outra reportagem
5 Carmona Rodrigues


Tese de mestrado "Contribuição do modo BICI na gestão da mobilidade urbana" - Descarregar PDF »»

» Dia 090 - 05/06/2008 «

Santos » Cid. Universitária » Amoreiras » Santos
Da cota 05m à cota 110m, 16km no total do dia.

Hoje dei aulas na EPCG, nas Amoreiras, pelo que fui almoçar cedo à Cidade Universitária. Depois passei a tarde toda a dar aulas. Ao final da tarde, regresso a casa, pelo Rato. Agora já voltei a usar capacete, no regresso a casa. As elevadas velocidades (por vezes a rondar os 50 km/h) que assustam-me um pouco, pelo que me sinto muito mais seguro, a descer, usando o capacete. A desvantagem é que desta forma arrisco muito mais, nomeadamente nas manobras de desvio aos automóveis.

Notícia do dia:

Picoas Plaza quer ser espaço de convívio para ciclistas de Lisboa

Centro Comercial Picoas Plaza abre esta sexta-feira as portas aos ciclistas e inaugura um parqueamento para bicicletas.

A abertura deste espaço às bicicletas irá realizar-se esta sexta-feira, dia 6 de Junho, pelas 18h30 no Picoas Plaza. Todos os ciclistas estão convidados a poder usufruir deste espaço de lazer.

Eu estarei lá para tomar um café. Apareçam.

Paulo Santos
9806m de altitude e 1088 km de distância percorridos em Lisboa desde 01/Jan/2008

13 comentários:

delta disse...

Parabéns pelo parqueamento do Picoas Plaza. Certamente muitos mais irão aparecer!
Vou tentar aparecer.

Domingo há o passeio da Lisboa histórica, com partida da Praça do Comércio, às 9H30. O Paulo vai lá estar?

Os ciclistas já se vêm por todo o lado. Hoje, ao chegar a Alverca, deparei-me com um e, passado um pouco vi mais um grupo de 4.
Ontem e anteontem, sensivelmente à mesma hora (17H30), passei por dois ciclistas (um em cada dia e não era o mesmo), em plena segunda circular, na zona de Calvanas.
Penso que é um risco enorme ciclar naquela via.
Ontem, tivemos aquela morte estúpida de uma criança na Alta de Lisboa. Esperemos que um dia destes não tenhamos uma notícia idêntica, mas com um ciclista.Se calhar, alguém tem que perder a vida, para que se faça alguma coisa...

guerradossantos@gmail.com disse...

Deixo aqui o ALERTA a todos os utilizadores de bicicletas para não, repito, NÃO utilizarem a segunda circular como via de circulação para bicicletas. Devido às elevadas velocidades, manobras perigosas e tráfego, bem como a falta de berma ou sobrelargura, é extremamente perigosa para um ciclista. Há uns anos faleceu lá um vitima de abalroamento.
Passem esta mensagem por favor.
Paulo Santos.

Pedro disse...

Olá,
Estive a ler as suas palavras do dia 90 e reparei nas afirmações:
- [...] Hoje voltei a usar capacete [...]
- [...] Altas velocidades... a rondar 50 Km/h [...]

Penso que 50Km/h é demasiado para um ciclista, mais grave ainda dentro da cidade no meio do trânsito.
Mesmo que se saiba andar bem,uma queda a esta velocidade pode ser fatal.
Por outro lado é necessário não esquecer:
A maioria dos condutores "não nos vê", nem reparam em nós!...

Deixo aqui um apelo a todos que visitam este blog:
CAPACETE?... SEMPRE!

Aproveito para contar algo que observei o Verão passado na zona de Faro.
Estava de férias, viajava de carro e cruzei-me com alguns ciclistas (mais de uma dezena num só dia).
Reparei que todos eles estavam a utilizar a bicicleta como meio de
transporte. Uns para a praia, outros para o trabalho.
Todos tinham algo em comum...
Não utilizavam capacete.

O único que trazia capacete, vinha equipado a rigor e vinha a utilizar a bicicleta claramente como meio de laser (passeio BTT).

Ou seja, só utilizamos capacete quando utilizamos a bicicleta como meio desportivo!?...
E não utilizamos a capacete nas alturas em que o seu uso deveria ser normal e perfeitamente habitual.

Portanto o lema deverá ser:
CAPACETE?... SEMPRE!
mesmo que seja só para ir tomar café.

pescadorDigital disse...

também me agrada a mim saber que cada vez mais gente usa a bicicleta como meio de transporte no seu quotidiano, mas continua a haver vias nesta cidades que são perigosas, nesses sítios, em minha opinião, se calhar fazia falta era um sinal de "proibido a bicicletas". O problema é, quando se proíbe algo, alguma gente interpreta isso no sentido completamente oposto, como algo negativo, no sentido de alguém a querer impôr alguma coisa. A mesma história em relação aos capacetes. Tou a ver que vamos entrar numa discussão do uso do capacete tal como existe com os motociclistas. A diferença é que o capacete de ciclista é bem mais barato :) .
Um bem haja a todos os que decidiram "ciclar" (adoro este novo verbo!) em vez de "conduzir" pelas ruas de Lisboa.
Ainda não comprei bicicleta para me juntar a todo este movimento de mudança, mas é só uma questão de tempo!

guerradossantos@gmail.com disse...

A segurança que se tem ao usar o capacete não é sequer discutível. Em caso de queda é sem dúvida melhor ter o capacete que não ter. O facto de por vezes não o usar prende-se essencialmente pela razão de estar a fazer uma tese de mestrado em engenharia, onde temos de experimentar e testar diversas situações, para obter dados concretos, mesmo que saibamos de antemão a maioria das conclusões. Se assim não fosse, seria apenas mais uma utilização de bicicleta, e não engenharia.
No caso da segunda circular, para além de se colocar o sinal de proibido circular na via, a solução poderia passasr pela definição de um caminho ciclável (por que não até em terra batida com gravilha fina, como vi na Alemanha e Finlândia) nas zonas verdes que a ladeiam em quase toda a sua extensão. Barato, e sem dúvida muito mais seguro para os utilizadores de bicicleta.

Frederico disse...

Desculpem lá mas tenho que discordar veementemente dos vossos comentários quanto à segunda circular.

Com a vossa atitude de propor a proibição de as bicicletas circularem numa via cuja velocidade máxima é de 80kmh estão - mais uma vez - a favorecer o mais forte e a penalizar o mais fraco.

Se isso for para a frente o resultado é que mais dia menos dia seremos proibidos de utilizar as bicicletas em toda e qualquer estrada, afinal nas estradas nacionais o limite é 90kmh.
Se se proíbe numa via onde o limite é inferior então mais depressa se proíbe em todas as estradas nacionais!

Quando existe uma estrada perigosa o assunto não se resolve proibindo os utilizadores mais fracos de a utilizar!

Senão, vamos começar a proibir as pessoas de atravessar a estrada, pois já morreram muitas pessoas em muitas passadeiras!

pescadorDigital disse...

Com a vossa atitude de propor a proibição de as bicicletas circularem numa via cuja velocidade máxima é de 80kmh estão - mais uma vez - a favorecer o mais forte e a penalizar o mais fraco.

Eu já sabia que se ia instalar este debate, de levar a probição no sentido negativo. Se o problema é, se a tendência de proibir apenas um caso particular isso irá provocar uma generalização da mesma regra em todos os casos semelhantes então não se proíba em lado nenhum! A finalidade de proibir é para proteger, não para limitar a liberdade de ninguém!

Já agora também deviam aparecer sinais de proibido circular bicicletas nos passeios, que é uma coisa que muita gente faz mas eu abomino. Só ando de bicicleta em passeios largos. Quando o passeio é curto, desmonto e passo à condição de peão!

Frederico disse...

Continuando:

Actualmente, o grande perigo que existe para as bicicletas é que venha algum 'político bem intencionado mas que nunca andou de bicicleta na vida' e promova uma lei que proíba a utilização das bicicletas nas estradas!

Esse perigo é real e a mania das ciclovias só o torna mais premente!
E esta é a minha principal razão para ser contra a existência de ciclovias!

Se para além disso ainda temos alguns ciclistas a propôr que se proíba a utilização de ciclovias em algumas estradas, então passa a ser uma possibilidade muito real!

E se, ainda para mais, algum desses ciclistas for uma figura eminente - não sei se gostas do rótulo Paulo, mas hoje em dia já o tens colado à testa - então estamos a um pequeno passo de que o Fernandes (ou o Costa ou outro qualquer) venha para aí propôr o mesmo.
E atrás da segunda circular virá a marginal e depois a nacional 10, ...

Se a segunda circular tem um problema então, ao invés de aumentarmos o receio que as pessoas já têm, temos é que alertar para tentar mudar os comportamentos!
Ao invés de pedirmos que não andem, publiquemos nos nossos blogs e enviemos para os jornais fotografias de bicicletas na segunda circular de modo a alertar os automobilistas para mudarem os seus comportamentos.

Catarina disse...

Concordo com o Frederico.

A segunda circular é um exemplo das estradas em Lisboa que se podia adaptar ao trânsito seguro com bicicletas e com peões. Sou rara frequentadora da 2a circular, cujo trânsito vislumbro todas as manhãs. Sem ser à noite os automóveis deslocam-se normalmente a velocidades inferiores a 60km/h, chegando mesmo a ficar parado o trânsito.

Se fosse seguro para mim deslocar-me na 2a circular fá-lo-ia, e decerto que não seria a única a adoptar esse trajecto.

Boas pedaladas.

Frederico disse...

É proibido circular nos passeios!

Mas infelizmente como a maioria das pessoas vê a bicicleta como um brinquedo e não como um veículo ninguém liga a isso!

Esperemos é que o facto de ser vista como um brinquedo não impeça que venham por aí leis que a impeçam de ser um veículo!

pescadorDigital disse...

É exactamente nesse sentido de que a bicicleta deve começar a ser levada a sério que acho que as coisas se deviam encaminhar.
A questao é ... como fazer passar a ideia aos líderes de que já existe utilizadores diários suficientes para se alcançar isso ?
Se calhar acham que ainda não existe massa crítica suficiente!

guerradossantos@gmail.com disse...

Caríssimos, apareçam com as vossas bicicletas, hoje, 06/06/2008, no Picoas Plaza, pelas 18:30h. Já é possível a entrada e estacionamento das mesmas naquele espaço de lazer.
Até logo.

Prof. Karamba disse...

O capacete não deve ser uma opção. Embora temos duas pernas e dois braços, só temos uma cabeça! Espero que começas a o usar mais.

Relatos de quem já pedala pela cidade de Lisboa .............

São cada vez mais aqueles que usam a bicicleta como meio de transporte em Lisboa ( 29 testemunhos) ....................................... ver mais »

Engenharia Civil - Vias de Comunicação e Transportes

Intermodalidade de Transportes na cidade de Lisboa
Quanto lhe custa TER e USAR o seu automóvel ?
Os "100 dias" nos media

FAQs, Links, e informações de interesse para o ciclista ..........................

O código da estrada e os velocípedes ....................................
Rede de zonas cicláveis em Lisboa .....................................
Estacionamento para bicicletas, na cidade de Lisboa .............. brevemente
Rede de lojas e oficinas de bicicletas em Lisboa ............ brevemente
Transporte de bicicletas no metropolitano de Lisboa ...............
Transporte de bicicletas nos comboios da CP .....................
Transporte de bicicletas nos comboios da Fertagus ................
Transporte de bicicletas nos barcos da Transtejo e Soflusa ............
Custos comparativos com o uso do automóvel ............................ brevemente
Revistas da especialidade ......................................................... brevemente
Associações e grupos de entusiastas ........................................ brevemente
Eventos ................................................................................... brevemente

C.V. resumido


Currículo Vitae
Paulo Manuel Guerra dos Santos, Eng.º Civil.
Contacto: guerradossantos@gmail.com

Dados Pessoais
Nascido em 1973

Experiência Profissional
1995 a 2007 – Colaborador em diversas empresas de Projecto de Estradas e Consultoria (Proplano, Triede, Tecnofisil, Consulógica), onde desenvolveu competências na área do desenho e projecto de estradas, em particular com recurso às aplicações informáticas: AutoCAD, SMIGS e CIVIL 3D.

Experiência Pedagógica
1994 a 2007 – Mais de 6000h de formação ministradas em diversas escolas, centros de formação e empresas do continente e ilhas, nas áreas de Robótica Industrial, CAD, Topografia e Projecto de Estradas Assistidos por Computador.

Estágios Profissionais e Projectos Internacionais
2007 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Alemanha.
2007 – Estágio na Finnish Road Administration (Instituto de Estradas Finlandês), na cidade de Turku, na Finlândia.
2006 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Holanda.
1993/ 94 – Estágios na área da Robótica Industrial, em empresa tecnológica do sector metalomecânico, em Portugal.

Formação Académica
2007 – A preparar a tese de mestrado sob o tema “100 dias a ciclar na cidade de Lisboa”, com início previsto para 01 de Janeiro de 2008.
2007 – Conclusão da Licenciatura bi-etápica em Engenharia Civil, Ramo de Vias de Comunicação Rodoviárias, ISEL, com média de 15 valores.
1999 – Conclusão do Bacharelato em Engenharia Civil, ISEL, com média de 14 valores.

Formação Profissional em Novas Tecnologias de Informação
1995 a 2006 – Diversas acções de formação profissional nas áreas de Robótica Industrial, CAD, SIG, Topografia, Engenharia de Estradas, Design Gráfico e Criação de páginas de Internet.
1992 a 1994 – Curso de Robótica Industrial, CENFIM, com 3000h.

Formação Pedagógica
1994 a 2003 – Diversas acções de Formação Pedagógica de Formadores e Meios Audiovisuais.

Certificações Pedagógicas
Desde 2000 – Certificado pela AutoDESK, como formador autorizado em tecnologias de desenho e projecto assistidos por computador.
Desde 1998 – Certificado pelo IEFP como Formador, com CAP.

Resumo da situação actual
Actualmente exerce actividade em regime de freelancer como Técnico Especialista e Formador nas áreas de:

- Desenho Técnico Assistido por Computador (AutoCAD), para Arquitectura, Engenharia e Construção, a 2D, 3D e 4D.
- Modelação Digital de Terrenos, para Topografia (CIVIL 3D).
- Cálculo de Vias de Comunicação Rodoviárias Assistido por Computador (CIVIL 3D).

Outras informações
Disponibilidade total. Flexibilidade de horários. Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro.
Muito bom nível de inglês falado e escrito. Excelentes capacidades de comunicação.
Não fumador. Dador de sangue. Praticante de desportos de combate.