O projecto dos "100 dias"

01.01.'08 - Apresentação e arranque do projecto ............ SIC
12.05.'08 - Primeiras conclusões aos 80 dias ................... SIC 02.07.'08 - Transportes amigos do ambiente .................. RTP2
18.09.'08 - Conclusões finais aos 130 dias ....................... TVI 22.09.'08 - Dia Europeu da Mobilidade 22.09.2008 ........ RTP1
02.11.'08 - Caia Quem Caia e as bicicletas ....................... TVI 30.12.'08 - Fim do Projecto dos "100 dias" ...................... RCP
01.01.'09 - Fim do projecto dos "100 dias" ...................... SIC 06.01.'09 - 100 dias na Prova Oral .......................... Antena 3


1 Outra reportagem
2 Outra reportagem
3 Outra reportagem
4 Outra reportagem
5 Carmona Rodrigues


Tese de mestrado "Contribuição do modo BICI na gestão da mobilidade urbana" - Descarregar PDF »»

Dia 007 - 09/01/2008

Caríssimos, aqui está a prova em como é possível praticar a inter-modalidade dos diferentes meios de transportes da cidade. Ontem (08/01/2007), pelas 20:25, lá estava eu a entrar na estação de metro de Chelas para seguir até ao Cais do Sodré. Nota positiva para o responsável da estação, que me deixou entrar pelas cancelas uns minutinhos antes da hora permitida, 20:30 :) Nota negativa para a estação do Cais do Sodré. Tantas escadas, e nenhum elevador. Mas enfim, a desvantagem de subir uns degrauzitos não se compara com o benefício de fazer vários quilómetros com a bina, sem cansaço :)



Hoje, pela primeira vez, fui de bicicleta de casa para a Escola Prof. de Ciências Geográficas, onde sou professor, bem no alto da Rua de Artilharia I. Para terem uma ideia, a cota (altitude) da porta de entrada do meu prédio é de 9 metros. A cota do portão de entrada da EPCG é de ...... 109 metros. Isso mesmo, nada mais nada menos que um desnível a vencer de 100 metros. De um dos pontos mais baixos da cidade, para um dos pontos mais altos da cidade, as Amoreiras. Lá fui então, depois do almoço, devarinho claro, para tentar não suar muito. Mas é complicado quando se transporta uma mochila com uma carga de 5 Kg, bem coladinha às costas.



Calçada da Estrela, Santa Isabel, zona do Rato e Campo de Ourique. Num troço de cerca de 500 metros resolvi levar a bina à mão. É uma alternativa quando não se quer suar muito, ou se está realmente cansado. Na Rua Ferreira Borges, parei para conversar com a rapaziada da MegaAventura, mais uma loja dedicada às bicicletas. Depois, lá segui para a Rua de Artilharia I, onde entrei na escola, com o porteiro a desconfiar se eu seria mesmo um professor da escola :) Mas é assim que se mudam mentalidades, provocando-as e chocando com os velhos preconceitos do fato e gravata. Os responsáveis da escola, colegas e alunos apoiam incondicionalemte o projecto, apesar de alguns lá rematarem "isto das bicicletas não é para mim". Claro que não, isto não é mesmo para todos. É só para alguns, para os que podem e para os que querem contribuir para um ambiente melhor na cidade. Cumprimentos a todos os meus alunos, colegas e responsáveis da EPCG.


Depois da aula é que foi bom: 100 metros de desnível em altitude, mas desta vez a favor da força da gravidade. Que bom que é quando todos os santos ajudam.

9 comentários:

Blackbelly disse...

Não podem ajudar demasiado :) às vezes assusto-me e penso... e se os travões falharem?

Ontem subi para a Feira da ladra, ora a pé ora a pedalar (muito pouco) mas um dia conseguirei :) só pedalar...

Mas sabe tão bem...

guerradossantos@gmail.com disse...

Blackbelly, pedalas diariamente? E que tipo de percursos costumas fazer? Não te preocupes pelo facto de fazeres certos percursos com a bina à mão. Eu faço-o e em todas as cidades Europeias onde já pedalei, a rapaziada também não perdoa uma subidazita mais íngreme. Custa menos, o esforçe é idêntico ao de se fosses a andar, e não é vergonha nenhuma. Apenas mostra que tens a inteligência de usar as diversas formas de andar DE e COM a bicicleta. Cumprimentos

Miguel Carvalho disse...

A minha sugestão para fazer um percurso desses é dar uma volta maior mas que tenha um declive menor (já passei nessa zona muitas vezes de bicicleta).
Em vez da Cç da Estrela, Rua de S.Bento e Rua do Sol ao Rato, por exemplo.

carneiro disse...

Você está a meter-se por alguns sítios muito complicados para a bicicleta. Cç da Estrela ? Isso é para o Armstrong, pá.

Para a utilização preferencial que tem dado - com recurso ao metro sempre que pode e evitar o suor porque vai a caminho do emprego - a bina ideal é uma desdobrável ou uma eléctrica. Digo eu que tenho pensado muito no assunto.
De todo o modo, parabéns. Já sabe que conta com os meus apoio e admiração.

E no domingo próximo ? vai à manif ? Fazia 15 Km mais em estrada com a malta. Experimentava a valência mais 'cardio' e desportiva...Olhe que está na idade em que os pneus abdominais começam a aparecer...

E a sua presença - que já é mediática - reforçaria a notoriedade que se pretende que o assunto tenha.

laura disse...

"...entrei na escola, com o porteiro a desconfiar se eu seria mesmo um professor da escola :) Mas é assim que se mudam mentalidades, provocando-as e chocando com os velhos preconceitos do fato e gravata."

Ora nem mais! Eu que o diga, que agora sou editora e chego à revista de bicicleta às costas, lol...

guerradossantos@gmail.com disse...

Caro Carneiro, que manif é essa? Onde começa e onde acaba? A que horas? Que nível de dificuldade tem? E porque se manifestam?

Um grande abraço.

anabananasplit disse...

Paulo, a manif é esta.

lage disse...

epá ficamos mesmo bem na foto de grupo da escola..... força ai stor ja só faltam 91 dias

Daniel disse...

Boa sorte professor. :D

Relatos de quem já pedala pela cidade de Lisboa .............

São cada vez mais aqueles que usam a bicicleta como meio de transporte em Lisboa ( 29 testemunhos) ....................................... ver mais »

Engenharia Civil - Vias de Comunicação e Transportes

Intermodalidade de Transportes na cidade de Lisboa
Quanto lhe custa TER e USAR o seu automóvel ?
Os "100 dias" nos media

FAQs, Links, e informações de interesse para o ciclista ..........................

O código da estrada e os velocípedes ....................................
Rede de zonas cicláveis em Lisboa .....................................
Estacionamento para bicicletas, na cidade de Lisboa .............. brevemente
Rede de lojas e oficinas de bicicletas em Lisboa ............ brevemente
Transporte de bicicletas no metropolitano de Lisboa ...............
Transporte de bicicletas nos comboios da CP .....................
Transporte de bicicletas nos comboios da Fertagus ................
Transporte de bicicletas nos barcos da Transtejo e Soflusa ............
Custos comparativos com o uso do automóvel ............................ brevemente
Revistas da especialidade ......................................................... brevemente
Associações e grupos de entusiastas ........................................ brevemente
Eventos ................................................................................... brevemente

C.V. resumido


Currículo Vitae
Paulo Manuel Guerra dos Santos, Eng.º Civil.
Contacto: guerradossantos@gmail.com

Dados Pessoais
Nascido em 1973

Experiência Profissional
1995 a 2007 – Colaborador em diversas empresas de Projecto de Estradas e Consultoria (Proplano, Triede, Tecnofisil, Consulógica), onde desenvolveu competências na área do desenho e projecto de estradas, em particular com recurso às aplicações informáticas: AutoCAD, SMIGS e CIVIL 3D.

Experiência Pedagógica
1994 a 2007 – Mais de 6000h de formação ministradas em diversas escolas, centros de formação e empresas do continente e ilhas, nas áreas de Robótica Industrial, CAD, Topografia e Projecto de Estradas Assistidos por Computador.

Estágios Profissionais e Projectos Internacionais
2007 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Alemanha.
2007 – Estágio na Finnish Road Administration (Instituto de Estradas Finlandês), na cidade de Turku, na Finlândia.
2006 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Holanda.
1993/ 94 – Estágios na área da Robótica Industrial, em empresa tecnológica do sector metalomecânico, em Portugal.

Formação Académica
2007 – A preparar a tese de mestrado sob o tema “100 dias a ciclar na cidade de Lisboa”, com início previsto para 01 de Janeiro de 2008.
2007 – Conclusão da Licenciatura bi-etápica em Engenharia Civil, Ramo de Vias de Comunicação Rodoviárias, ISEL, com média de 15 valores.
1999 – Conclusão do Bacharelato em Engenharia Civil, ISEL, com média de 14 valores.

Formação Profissional em Novas Tecnologias de Informação
1995 a 2006 – Diversas acções de formação profissional nas áreas de Robótica Industrial, CAD, SIG, Topografia, Engenharia de Estradas, Design Gráfico e Criação de páginas de Internet.
1992 a 1994 – Curso de Robótica Industrial, CENFIM, com 3000h.

Formação Pedagógica
1994 a 2003 – Diversas acções de Formação Pedagógica de Formadores e Meios Audiovisuais.

Certificações Pedagógicas
Desde 2000 – Certificado pela AutoDESK, como formador autorizado em tecnologias de desenho e projecto assistidos por computador.
Desde 1998 – Certificado pelo IEFP como Formador, com CAP.

Resumo da situação actual
Actualmente exerce actividade em regime de freelancer como Técnico Especialista e Formador nas áreas de:

- Desenho Técnico Assistido por Computador (AutoCAD), para Arquitectura, Engenharia e Construção, a 2D, 3D e 4D.
- Modelação Digital de Terrenos, para Topografia (CIVIL 3D).
- Cálculo de Vias de Comunicação Rodoviárias Assistido por Computador (CIVIL 3D).

Outras informações
Disponibilidade total. Flexibilidade de horários. Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro.
Muito bom nível de inglês falado e escrito. Excelentes capacidades de comunicação.
Não fumador. Dador de sangue. Praticante de desportos de combate.