O projecto dos "100 dias"

01.01.'08 - Apresentação e arranque do projecto ............ SIC
12.05.'08 - Primeiras conclusões aos 80 dias ................... SIC 02.07.'08 - Transportes amigos do ambiente .................. RTP2
18.09.'08 - Conclusões finais aos 130 dias ....................... TVI 22.09.'08 - Dia Europeu da Mobilidade 22.09.2008 ........ RTP1
02.11.'08 - Caia Quem Caia e as bicicletas ....................... TVI 30.12.'08 - Fim do Projecto dos "100 dias" ...................... RCP
01.01.'09 - Fim do projecto dos "100 dias" ...................... SIC 06.01.'09 - 100 dias na Prova Oral .......................... Antena 3


1 Outra reportagem
2 Outra reportagem
3 Outra reportagem
4 Outra reportagem
5 Carmona Rodrigues


Tese de mestrado "Contribuição do modo BICI na gestão da mobilidade urbana" - Descarregar PDF »»

Dias 042 e 043 - 28 e 29/02/2008

Quinta-feira. Dia de levar o carro à inspecção (matrícula de Fevereiro). Mais uma chatice, despesa e tempo perdido por causa do automóvel. Mas é um mal necessário, para garantir que a máquina não seja nenhum perigo para a via pública. Depois deste stress, pelas 16:00h decidi ir pedalar pela Baixa. Em boa hora o fiz. Lisboa está realmente cada vez mais bonita. Só pode, que estes milhares de turistas que nos invadem diariamente. A Rua Augusta com tanta gente que mal dá para me movimentar de bicla. Mas estes turistas estão habituadíssimos a ver ciclistas nos seus países. Até estranham é em ver tão poucos. Lisboa só peca por aí.
(Arco da Rua Augusta, junto ao Terreiro do Paço)

(a minha bike no Rossio)

Páro para apreciar uns quadros feitos por pintores de rua. Converso com um deles. É do Paquistão. Tiro uma foto a um casal de turistas da Hungria. Conheço um casal de lésbicas da Austrália e tomo um café numa das muitas pastelarias da rua. Rua esta que não há muitos anos tinha trânsito automóvel. Lembram-se da polémica que foi fechá-la aos carros? Hoje, não passaria pela cabeça de ninguém voltar a ver carros por lá. Por isso, não façam grande alarido quando a Câmara resolver cortar mais umas ruas e torná-las pedonais ou ..... cicláveis. É para belprazer de todos !!! Portugueses e estrangeiros. E 8 Km percorridos para cima e para baixo, nesta Baixa Pombalina.

Sexta-feira, depois de almoço, dia para tratar de questões fiscais. Passagem pelas finanças da Rua dos Correeiros, saltinho à loja do cidadão dos Restauradores e passagem pelo Banco para um depósito de cheques. Depois aproveitei o tempo para mais um passeio pela Baixa, e passar pelo supermercado para comprar alguns haveres. Sem stresses, sem correrias, sem trânsito, sem pára-arranca, sem CO2 emitido para a atmosfera, sem custos directos. Só eu, a minha bike e a cidade. E mais 9 km percorridos pela capital da West Coast of Europe (adoro este slogan, a sério !!!!!).

(a minha bike amarrada a um semáro, bem visível, junto da loja do cidadão dos Resturadores)


Cumprimentos a todos.

5 comentários:

Hugo Jorge disse...

Lisboa é uma mistura. Uma mistura boa. Rica. Ao longo dos séculos fomos, somos e seremos palco de uma grande diversidade. E nesta abertura, a bicicleta será de certo mais um elemento que dá vida à cidade, que humaniza as relações, que facilita as interacções e que permite uma maior qualidade de vida. Não adianta esperar por ciclovias, vias cicláveis , parqueamentos para começar a andar de bicicleta na cidade. O momento é agora. Com as condições que temos. Adaptamos-nos ao que temos. Pouco a pouco elas melhoram, com a nossa participação claro.

Luís disse...

Encontrei este blog há pouco tempo, e desde então tenho sido um fiel leitor!

Sinceramente, tomei conhecimento dele desde que voltei a ir almoçar à cantina velha da UL, vi lá a bicicleta, e pensei... "Olha, mais um compatriota?" :)

A verdade é que desde o ano passado que, sempre que possível, me desloco de bicicleta desde a minha casa em Campolide, ao pé das Amoreiras, até à Faculdade de Ciências no Campo Grande, onde trabalho. E como estou arrependido de não ter feito o mesmo enquanto estava a tirar o curso!...

A ideia surgiu-me quando um dia me lembrei de usar uma ferramenta da internet de mapas (não me lembro qual...) só para ver a distância da minha casa até à faculdade. Como sempre fui muito adepto de andar de bicicleta, mas só de Verão ou ao fim de semana do outro lado do rio, já me tinha ocorrido usar a bicicleta em Lisboa. Nunca o tinha era concretizado porque achava que os percursos que teria de fazer ou eram muito longos, ou pejados de subidas, ou francamente PERIGOSOS por causa dos carros. Além disso, fiz o estágio de licenciatura durante 9 meses na Holanda, e, embora tenha vindo de lá com o "bichinho" da bina enquanto meio de transporte, achava isso impraticável em Lisboa.

Enfim, lá meti o "start" e o "finish", e fiquei parvo quando vi que a distância mais curta eram cerca de 4 (míseros) quilómetros! Ainda por cima, por um caminho que nunca utilizaria de carro (por causa do trânsito), mas que de bicicleta faria todo o sentido!
E pronto, lá experimentei. Resultados? Se for com calminha, fazendo o percurso Campolide > Marquês de Fronteira > Corte Inglés > 5 de Outubro > Entrecampos > Ciclovia > FCUL, nunca demoro mais do que 25 minutos. Se for de carro e apanhar o trânsito habitual demoro entre 10 e 20 minutos (para 4 km!). Se for de transportes públicos, demoro invariavelmente cerca de 45 minutos, contando com tempos de espera e/ou trânsito (PARA QUATRO MÍSEROS QUILÓMETROS!!). Ah, e como circulo na via mas cumpro escrupulosamente o código de estrada (respeito todos os sinais, faço "pisca", etc. Afinal, também sou condutor), nunca tive qualquer razão de queixa por parte dos automobilistas.

Custos? Carro: ~€60 por mês em gasóleo. Passe: €28,10 por mês. Bicicleta: €0.
Não tenho dúvidas nenhumas que a bicicleta oferece uma série de vantagens em relação ao carro e até, em algumas circunstâncias, à rede de transportes públicos. Infelizmente, tenho de admitir que ultimamente tenho utilizado um pouco mais o carro, mais por preguiça e stress relacionado com o fim do meu mestrado... Se tivesse desopilado um bocadinho de bicicleta, nas idas e vindas para o trabalho, provavelmente tinha stressado menos!
Próximo passo para mim: adoptar a bina de forma integral nas minhas deslocações à FCUL e ao ginásio (em Telheiras - já vou com o aquecimento feito :)), e utilizar o carro apenas quando necessitar de ir ao Instituto Gulbenkian de Ciência em Oeiras, onde também trabalho. Para facilitar o uso no dia a dia, acho que duas coisas são essenciais... Um porta-bagagens + mochila adaptada ao mesmo e um corta-vento/chuva, para os dias mais "cinzentos".

E pronto! Só queria deixar o meu testemunho e desejar-te as maiores felicidades para a tua tese, e, claro, a tua experiência! Ainda havemos de ser muitos, há cada vez mais bicicletas "estacionadas" na Faculdade de Ciências, vai lá espreitar!! :)

Um abraço
Luís Marques, 28 anos, Biólogo

guerradossantos@gmail.com disse...

Caro Hugo, sem dúvida que o segredo está em nós próprios, e não só nas condições que nos rodeiam.
Luís, o seu testemunho é fantástico. Tomei a liberdade de o colocar em "Relatos ..."

Abraço a todos.

Luís disse...

Foi um prazer contribuir :)

Um abraço
- Luís

Lss911 disse...

Excelente o testemunho do Luís!

Andar de bicicleta por Lisboa é uma prazer e um estilo de vida.
é complicado claro, há muitos carros e poucos nos vêem.

Já ando há ano e meio várias vezes por semana e só tive duas chatíces até ao momento: por duas vezes aconteceu um condutor estacionar o carro e abrir a porta sem ver quem vem e levar com a porta em cima no justo momento em que vou a passar. Na 2ª vez não fiquei em muito bom estado e ia a 30 Km/h...

Depois houve uma queda numa zona de passei molhado em dia de Sol em que a curvar espalhei-me: parecia um "puto" todo esfolado nos cotovelos e joelhos.

Mas é um prazer andar por esta cidade e extremamente saudável!

A bicicleta é muitas vezes mais rápida que transportes públicos, só ela me permite ir desde o Areeiro ao Rato em 13 minutos quando de transportes públicos demoraria quase o triplo!
Emissões zero! Saúde a 100%!

Cumprimentos, e continuação de um bom trabalho!

Relatos de quem já pedala pela cidade de Lisboa .............

São cada vez mais aqueles que usam a bicicleta como meio de transporte em Lisboa ( 29 testemunhos) ....................................... ver mais »

Engenharia Civil - Vias de Comunicação e Transportes

Intermodalidade de Transportes na cidade de Lisboa
Quanto lhe custa TER e USAR o seu automóvel ?
Os "100 dias" nos media

FAQs, Links, e informações de interesse para o ciclista ..........................

O código da estrada e os velocípedes ....................................
Rede de zonas cicláveis em Lisboa .....................................
Estacionamento para bicicletas, na cidade de Lisboa .............. brevemente
Rede de lojas e oficinas de bicicletas em Lisboa ............ brevemente
Transporte de bicicletas no metropolitano de Lisboa ...............
Transporte de bicicletas nos comboios da CP .....................
Transporte de bicicletas nos comboios da Fertagus ................
Transporte de bicicletas nos barcos da Transtejo e Soflusa ............
Custos comparativos com o uso do automóvel ............................ brevemente
Revistas da especialidade ......................................................... brevemente
Associações e grupos de entusiastas ........................................ brevemente
Eventos ................................................................................... brevemente

C.V. resumido


Currículo Vitae
Paulo Manuel Guerra dos Santos, Eng.º Civil.
Contacto: guerradossantos@gmail.com

Dados Pessoais
Nascido em 1973

Experiência Profissional
1995 a 2007 – Colaborador em diversas empresas de Projecto de Estradas e Consultoria (Proplano, Triede, Tecnofisil, Consulógica), onde desenvolveu competências na área do desenho e projecto de estradas, em particular com recurso às aplicações informáticas: AutoCAD, SMIGS e CIVIL 3D.

Experiência Pedagógica
1994 a 2007 – Mais de 6000h de formação ministradas em diversas escolas, centros de formação e empresas do continente e ilhas, nas áreas de Robótica Industrial, CAD, Topografia e Projecto de Estradas Assistidos por Computador.

Estágios Profissionais e Projectos Internacionais
2007 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Alemanha.
2007 – Estágio na Finnish Road Administration (Instituto de Estradas Finlandês), na cidade de Turku, na Finlândia.
2006 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Holanda.
1993/ 94 – Estágios na área da Robótica Industrial, em empresa tecnológica do sector metalomecânico, em Portugal.

Formação Académica
2007 – A preparar a tese de mestrado sob o tema “100 dias a ciclar na cidade de Lisboa”, com início previsto para 01 de Janeiro de 2008.
2007 – Conclusão da Licenciatura bi-etápica em Engenharia Civil, Ramo de Vias de Comunicação Rodoviárias, ISEL, com média de 15 valores.
1999 – Conclusão do Bacharelato em Engenharia Civil, ISEL, com média de 14 valores.

Formação Profissional em Novas Tecnologias de Informação
1995 a 2006 – Diversas acções de formação profissional nas áreas de Robótica Industrial, CAD, SIG, Topografia, Engenharia de Estradas, Design Gráfico e Criação de páginas de Internet.
1992 a 1994 – Curso de Robótica Industrial, CENFIM, com 3000h.

Formação Pedagógica
1994 a 2003 – Diversas acções de Formação Pedagógica de Formadores e Meios Audiovisuais.

Certificações Pedagógicas
Desde 2000 – Certificado pela AutoDESK, como formador autorizado em tecnologias de desenho e projecto assistidos por computador.
Desde 1998 – Certificado pelo IEFP como Formador, com CAP.

Resumo da situação actual
Actualmente exerce actividade em regime de freelancer como Técnico Especialista e Formador nas áreas de:

- Desenho Técnico Assistido por Computador (AutoCAD), para Arquitectura, Engenharia e Construção, a 2D, 3D e 4D.
- Modelação Digital de Terrenos, para Topografia (CIVIL 3D).
- Cálculo de Vias de Comunicação Rodoviárias Assistido por Computador (CIVIL 3D).

Outras informações
Disponibilidade total. Flexibilidade de horários. Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro.
Muito bom nível de inglês falado e escrito. Excelentes capacidades de comunicação.
Não fumador. Dador de sangue. Praticante de desportos de combate.