O projecto dos "100 dias"

01.01.'08 - Apresentação e arranque do projecto ............ SIC
12.05.'08 - Primeiras conclusões aos 80 dias ................... SIC 02.07.'08 - Transportes amigos do ambiente .................. RTP2
18.09.'08 - Conclusões finais aos 130 dias ....................... TVI 22.09.'08 - Dia Europeu da Mobilidade 22.09.2008 ........ RTP1
02.11.'08 - Caia Quem Caia e as bicicletas ....................... TVI 30.12.'08 - Fim do Projecto dos "100 dias" ...................... RCP
01.01.'09 - Fim do projecto dos "100 dias" ...................... SIC 06.01.'09 - 100 dias na Prova Oral .......................... Antena 3


1 Outra reportagem
2 Outra reportagem
3 Outra reportagem
4 Outra reportagem
5 Carmona Rodrigues


Tese de mestrado "Contribuição do modo BICI na gestão da mobilidade urbana" - Descarregar PDF »»

Dia 215 - 02.03.2009

De Santos aos Restauradores, pela Av. 24 de Julho
Pela zona ribeirinha, 6 km
From Santos to Restauradores, via 24 de Julho Avenue

BASTA UMA PINTURA !!!!!
All you need is some painting

Hoje necessitei de ir à Loja do Cidadão, nos Restauradores, pelo que a melhor opção é de longe a bicicleta. Mas em vez de ir pelas ruas interiores (Boavista e São Paulo), fui pela Av. 24 de Julho para fotografar as alterações feitas na via, a propósito da remodelação da Praça do Comércio.
Today I was forced to go to Citizen Shop, in Restauradores, and the best option is far-far to use my bicycle. But instead of using inside streets, I went thrue 24 de Julho Avenue, to photograf the changes made in the road, because of the renovation of Praça do Comércio.

(A minha bici amarrada a um semáforo, junto à loja do cidadão)
(My bicycle locked to a traffic sign, near Citizen Shop)

Pelo caminho, na Av. 24 de Julho verifiquei (com agrado) que, no sentido Santos-Cais do Sodré, foi suprimida a via de circulação mais à direita, e convertida em estacionamento. Ora, como sabem, a largura necessária para um veículo estacionar é bastante inferior à largura de uma via para o mesmo veículo circular.
On the way, I noticed (with pleasure) that at 24 de Julho Avenue, direction Santos-Cais do Sodré, one way was supressed, and converted into car parking places. As you know, the necessary width for parking cars is much less then the circulation width.

Acontece que, como podem ver na foto abaixo, a pintura feita para o estacionamento acupou a totalidade da largura da antiga via de circulação, deixando um desperdício enorme de espaço, que serviu inclusive para eu lá passar com a minha bicicleta.
It happens that, as you can see in the photo bellow, the paintings for the parking places occupied the entire width of the previous traffic way, leaving a large width of pavement for nothing, wich actually I used to cycle.

(Actualidade na Av. 24 de Julho, entre Santos e o Cais do Sodré)
(Present day, 24 de Julho Avenue between Santos and Cais do Sodré)

Pergunto-me porque é que não se põe em prática o recente plano de mobilidade definido na Resolução da Assembleia da República n.º 3/2009, o tão desejado "Plano nacional de promoção da bicicleta e outros modos de transporte suaves".
I wonder why they don't apply the mobility plan recently aproved by the government, the so called "National plan for promoting bicycle use and other smooth transportation forms"

Na foto abaixo, deixo aqui um rascunho digital daquilo que, com os mesmos custos do que foi feito, poderia (e ainda pode) ser feito, na Av. 24 de Julho. Assim o queiram os responsáveis políticos e técnicos da Câmara.
In the photo below, a sketch of what it could (and still can) be done, with the same costs, in this avenue. You just need the political will and technical knoledge from the City Hall responsables.

(À direita na foto, veículos estacionados na Av. 24 de Julho, no que já foi uma via de circulação. À esquerda, veículos a circular, neste caso em pára-arranca, devido ao tráfego da hora de ponta. Ao centro, o espaço para o corredor BICI)
(In this photo, on the right, cars parked at 24 de Julho Avenue, on what it was once a traffic way. On the left, moving vehicules, in this case, at slow speed, as it is rush hour. On the centre, enough space for the BICI corridor)

Fica aqui a sugestão de como, pouco-a-pouco, com pequenas alterações de baixo custo, Lisboa poderá um dia ser uma cidade ciclável do ponto de vista das infraestruturas de segurança rodoviária para bicicletas.
Here it is the example how, bit by bit, with small and not expensive changings, Lisbon will one day become a city where everybody can use safely their bycicles.

Paulo Santos
1964km de bici convencional em Lisboa, desde 01.01.2008
1964km cycling in Lisbon, since 01.01.2008

12 comentários:

G disse...

sem desmerecer o post, que está ótimo, deixo apenas uma ressalva - normalmente não se desenham ciclovias diretamente ao lado de carros estacionados, pelas portas que se abrem e tornam a coisa perigosa.

bem, continuação. abraço

guerradossantos@gmail.com disse...

G, tenho isso em mente. Mas na realidade, existe uma pequena e simples solução para minimizar a probabilidade desse tipo de acidente: criar um "segundo" corredor, junto do automóvel, com cerca de 80/90cm, e só depois o corredor BICI. Assim, afastamos o ciclista da denominada "DoorZone". E nesta via, existem condições para isso.

Obrigado pelo teu testemunho.

Paulo Santos

Francisco Alem-Tejo disse...

Anyway, são boas noticias as que contas.

Ontem tentei ir pelo terreiro do Paço mas um polícia disse-me que não se podia mesmo passar. Continuo a usar a rua do Arsenal. Penso que nesta altura é a melhor publicidade possível à bicicleta, quando uma rua cheia de carros parados vê passar um ciclista descontraído.

guerradossantos@gmail.com disse...

Olá Francisco. Já posso confirmar que não é mesmo possível passar pela Praça do Comércio. Está cortada mesmo para acesso pedonal. Em relação ao exemplo que damos, ainda ontem quando estava a tirar as fotos na Av. 24 de Julho, diversos condutores e passageiros me apoiavam neste projecto, enquanto estavam parados no trânsito. Alguns queriam mesmo ir dar volta na bici :).

Só por curiosidade, demorei 3 minutos de Santos ao Cais do Sodré, de bicicleta. Os automobilistas estavam a demorar cerca de 20 minutos :) para fazer o mesmo percurso.

Paulo Santos

Francisco Alem-Tejo disse...

Hoje estou em Zagreb, Croácia, em trabalho. Que cidade bem preparada paras as bicis, com ciclovias e estacionamentos em todo o lado!

Abraço

guerradossantos@gmail.com disse...

Francisco, tira fotos dos bons (e menos bons) exemplos e manda-me para o mail.

Paulo

Francisco Alem-Tejo disse...

Isso seria possível,sim, se não me tivesse esquecido da máquina :-)

Catarina disse...

Eu diria para seguir o exemplo de Copenhaga e colocar a ciclovia entre os carros estacionados e o passeio. E talvez uma ciclovia mais larga, aqui o espaço em largura para estacionar é o mínimo possível dando lugar a uma largura suficiente para 3 bicicletas à vontade. Claro que em Lx nunca se irá construir uma ciclovia para 3 bici, mas devia dar-se espaço para uma bicicleta poder ultrapassar a outra sem ser necessário pedir licença, e deixar lugar para a bicicleta se desviar das portas a abrirem-se, outros riscos e há que ensinar as pessoas a terem cuidado com as bicicletas!

Estou a ver que quando regressar não vou conhecer a cidade. Será que para melhor? Menos carros? Mais gente?

Boas pedaladas.
Catarina

Tugaonbike disse...

Caros Amigos
Eu sou adepto de que quando me dão a mão eu não quero logo o braço todo.
Vamos com calma e chegaremos onde queremos.
AH!!! é verdade ó Catarina não voltes pq tá tudo na mesma.
EHEHEHEH
Beijos e abraços
VB

guerradossantos@gmail.com disse...

Eu noto uma diferença: vejo cada vez mais bicicletas amarradas por aí. São muitas as ruas e avenidas da cidade onde se vê diariamente pelo menos um veículo de duas rodas sem motor :) E aí, as coisas estão a mudar. E somos todos nós que estamos a fazer a mudança. Todos, excepto os políticos claro. Mas esses, pertencem a outra geração, e não se pode pedir-lhes mais por isso. Mesmo que quisessem, não saberiam o que fazer. Aguardemos então pela próxima geração de políticos: NÓS :)

Volta Catarina, serás mais uma a dar o exemplo.

Paulo Santos

Miguel Carvalho disse...

Paulo,
pois este post ficou-me na cabeça e resolvi voltar a ele. Reparo que o G já disse o que eu queria dizer... e que deste uma boa resposta. Concordo contigo.

Queria era mesmo sublinhar que uma ciclofaixa como a da montagem, seria prejudicial, porque obrigaria (e a palavra é mesmo esta, pelo código da estrada) as bicicletas a circular numa situação de perigo constante. Pessoalmente acho que evitaria esta rua.

Miguel Carvalho disse...

Catarina,
eu não sou (por enquanto) um grande defensor das ciclovias, mas para essa ideia de Copenhaga em Lisboa seria obrigatório que se roubasse uma faixa ao automóvel (que os passeios cá são bem mais estreitos.. roubaram mais espaço aos peões é que não :) ). E roubar uma faixa ao automóvel em Lisboa, parece-me o mesmo que criticar o governo na Coreia do Norte!
:)

Relatos de quem já pedala pela cidade de Lisboa .............

São cada vez mais aqueles que usam a bicicleta como meio de transporte em Lisboa ( 29 testemunhos) ....................................... ver mais »

Engenharia Civil - Vias de Comunicação e Transportes

Intermodalidade de Transportes na cidade de Lisboa
Quanto lhe custa TER e USAR o seu automóvel ?
Os "100 dias" nos media

FAQs, Links, e informações de interesse para o ciclista ..........................

O código da estrada e os velocípedes ....................................
Rede de zonas cicláveis em Lisboa .....................................
Estacionamento para bicicletas, na cidade de Lisboa .............. brevemente
Rede de lojas e oficinas de bicicletas em Lisboa ............ brevemente
Transporte de bicicletas no metropolitano de Lisboa ...............
Transporte de bicicletas nos comboios da CP .....................
Transporte de bicicletas nos comboios da Fertagus ................
Transporte de bicicletas nos barcos da Transtejo e Soflusa ............
Custos comparativos com o uso do automóvel ............................ brevemente
Revistas da especialidade ......................................................... brevemente
Associações e grupos de entusiastas ........................................ brevemente
Eventos ................................................................................... brevemente

C.V. resumido


Currículo Vitae
Paulo Manuel Guerra dos Santos, Eng.º Civil.
Contacto: guerradossantos@gmail.com

Dados Pessoais
Nascido em 1973

Experiência Profissional
1995 a 2007 – Colaborador em diversas empresas de Projecto de Estradas e Consultoria (Proplano, Triede, Tecnofisil, Consulógica), onde desenvolveu competências na área do desenho e projecto de estradas, em particular com recurso às aplicações informáticas: AutoCAD, SMIGS e CIVIL 3D.

Experiência Pedagógica
1994 a 2007 – Mais de 6000h de formação ministradas em diversas escolas, centros de formação e empresas do continente e ilhas, nas áreas de Robótica Industrial, CAD, Topografia e Projecto de Estradas Assistidos por Computador.

Estágios Profissionais e Projectos Internacionais
2007 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Alemanha.
2007 – Estágio na Finnish Road Administration (Instituto de Estradas Finlandês), na cidade de Turku, na Finlândia.
2006 – Participação em projecto académico europeu na área da engenharia hidráulica, na Holanda.
1993/ 94 – Estágios na área da Robótica Industrial, em empresa tecnológica do sector metalomecânico, em Portugal.

Formação Académica
2007 – A preparar a tese de mestrado sob o tema “100 dias a ciclar na cidade de Lisboa”, com início previsto para 01 de Janeiro de 2008.
2007 – Conclusão da Licenciatura bi-etápica em Engenharia Civil, Ramo de Vias de Comunicação Rodoviárias, ISEL, com média de 15 valores.
1999 – Conclusão do Bacharelato em Engenharia Civil, ISEL, com média de 14 valores.

Formação Profissional em Novas Tecnologias de Informação
1995 a 2006 – Diversas acções de formação profissional nas áreas de Robótica Industrial, CAD, SIG, Topografia, Engenharia de Estradas, Design Gráfico e Criação de páginas de Internet.
1992 a 1994 – Curso de Robótica Industrial, CENFIM, com 3000h.

Formação Pedagógica
1994 a 2003 – Diversas acções de Formação Pedagógica de Formadores e Meios Audiovisuais.

Certificações Pedagógicas
Desde 2000 – Certificado pela AutoDESK, como formador autorizado em tecnologias de desenho e projecto assistidos por computador.
Desde 1998 – Certificado pelo IEFP como Formador, com CAP.

Resumo da situação actual
Actualmente exerce actividade em regime de freelancer como Técnico Especialista e Formador nas áreas de:

- Desenho Técnico Assistido por Computador (AutoCAD), para Arquitectura, Engenharia e Construção, a 2D, 3D e 4D.
- Modelação Digital de Terrenos, para Topografia (CIVIL 3D).
- Cálculo de Vias de Comunicação Rodoviárias Assistido por Computador (CIVIL 3D).

Outras informações
Disponibilidade total. Flexibilidade de horários. Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro.
Muito bom nível de inglês falado e escrito. Excelentes capacidades de comunicação.
Não fumador. Dador de sangue. Praticante de desportos de combate.